Translate

domingo, 24 de setembro de 2017

terça-feira, 19 de setembro de 2017

A TRANSFORMAÇÃO DE UM CÃO QUASE MORTO - VÍDEO II

setembro 19, 2017 0 Comments

Um cão da raça pit bull foi abandonado e entregue a própria sorte. Depois de muito doente e machucado, foi resgatado por alma de bom coração. 

Não da nem para acreditar o que eles fizeram, como encontraram o animal e como está agora. Incrível ! 

Se ele não tivesse encontrado uma mão amiga, teria morrido.


CLIQUE AQUI E ENVIE O SEU VÍDEO. 
 

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Resgate e transformação de um cachorro que vivia no lixo

setembro 13, 2017 0 Comments

O vídeo trata-se do resgate e da transformação de uma cadelinha que vivia nas ruas, mais precisamente num lixão, totalmente abandonado. Uma condição indigna para qualquer ser vivo. Ela já vivia ali havia meses. O estado em que ela foi encontrado era tão lamentável que ela não parecia esboçar qualquer reação, completamente sem forças. Certamente mais uns dias ali e teria morrido. E até mesmo um cão é capaz de mostrar gratidão, coisa que a maioria dos humanos parecem não conseguir. Por sorte ela foi encontrada por boas pessoas, que deram o carinho e o tratamento adequado que um cão merece. Muitos cães não tem a mesma sorte dela. Antes de ter um cachorro, pense em adotar um dos milhares de cães abandonados ao invés de comprar. Amigos não tem preço.

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Você já ouviu falar sobre leucemia viral felina?

setembro 06, 2017 0 Comments



Tudo que você deve saber para ver seu gatinho saudável.

Vale a pena ler toda a matéria.

Vacinação de gatos deve começar com 30 dias de vida
Trata-se de uma patologia que acomete gatos. Alguns desses animais adquirem a infecção ainda jovens, quando nascem de uma gata infectada a qual pode transmitir o vírus pelo leite. Enquanto isso, outros têm a doença por meio do contato direto com a saliva de um felino contaminado.

A médica veterinária Ana Campos explica que a maioria dos gatos com leucemia viral felina apresenta um emagrecimento progressivo, perda de apetite, diarreia, palidez das mucosas e cansaço. Qualquer um desses sintomas pode estar associado à doença. 'Se o gato não for vacinado com a vacina específica de prevenção, é preciso procurar um médico veterinário', comenta.
A doença, de acordo com ela, acomete, principalmente, gatos que têm acesso a pátios e jardins, animais que não foram vacinados contra a leucemia viral. 'A prevalência da leucemia varia de acordo com a idade, estado de saúde, ambiente e tipo de vida. Não tendo relação entre macho ou fêmeas', complementa.
Segundo Ana, o compartilhamento de potes de comida e bebida também pode oferecer riscos à saúde do animal. Por ser a saliva uma fonte de infecção, a profissional recomenda cuidados com brigas de gatos em épocas de acasalamento, quando pode ocorrer a inoculação da saliva contaminada nos ferimentos.
A médica veterinária ressalta que é muito difícil existir cura para a doença. Às vezes, o gato promove resistência ao vírus, mas isso não impede do animal, mais tarde, revelar sintomas e fazer a viremia.
VACINAÇÃO
De acordo com a profissional, a vacinação de gatos deve começar com 30 dias de vida. Os animais devem ser testados e vacinados com vacina específica para prevenção da leucemia, chamada de Quíntupla.
Todos os anos, segundo ela, deve ser feito um reforço da mesma vacina. Por se tratar de uma doença de difícil cura, Ana reforça a importância da prevenção que apenas ocorrerá com a correta vacinação dos animais.
Ela explica que não há tratamento comprovado para infecção por esse vírus, mas, na prática, se usa antivirais. Também se faz um controle das infecções secundárias e cuidados gerais com a saúde.
Como forma de aumentar o tempo de vida do gato, é essencial o acompanhamento veterinário. No entanto, é importante evitar que este não transmita o vírus para demais animais.
A profissional ressalta que quando se tem um animal de estimação, os tutores devem procurar um profissional para tirar dúvidas e conversar sobre vacinação, alimentação e todos os detalhes que implicam em um bom estado de saúde. 'A população de gatos aumenta a cada ano e a leucemia ainda continua repetitiva em nossos consultórios, causando olhares tristes e choros nos proprietários de gatos', lamenta.
Fonte: por: Kethlin Meurer

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Pesquisa aponta: Cães vira-latas; são preferência de criadores de animais em lares

setembro 05, 2017 0 Comments


Pesquisa nacional aponta que os cães Sem Raça Definida (SRD) são os mais populares entre os brasileiros, representando 41% dos animais em casas de famílias



Os cachorros Sem Raça Definida (SRD), popularmente conhecidos como vira-latas, são a preferência de criadores de animais em lares brasileiros, segundo uma pesquisa. No Amazonas, tutores elencam os motivos que fazem dos pets a melhor opção e contam suas histórias de amor com os animais.
Segundo pesquisa do Instituto Qualibest, os SRD são maioria nos lares em todos os estados do País. De acordo com o estudo, os vira-latas representam 41% dos animais em casas das famílias brasileiras, a maioria de classes C e D e são os que menos apresentam problemas de saúde. Do número total, cerca de 33% dos entrevistados disse que resgatou o animal nas ruas.
E foi das ruas que o “Negão” foi resgatado pela dona de casa Vera Lúcia Sampaio, 50, há quatro anos. O animal foi abandonado pelo antigo dono, sem qualquer tipo de piedade, na rua da casa de Vera. “Foi desumano a forma como tudo ocorrer. Um rapaz passou pela frente da minha casa puxando o cachorro com uma corda, ele estava só pele e osso. Quando vi aquela cena, tive certeza que ele abandonaria o animal”, contou.
Negão foi jogado a própria sorte por volta das 20h de um dia chuvoso em uma das ruas do bairro da Raiz. A dona de casa contou que saiu e quando voltou para casa viu que o cachorro estava desesperado, com fome e medo. “O dia estava frio, estava prestes a cair um temporal. Fiquei agoniada com aquela situação e quando minha filha chegou conversei com ela e decidimos pegar o animal”, contou.
O vira-lata estava machucado e, segundo Vera, com certeza era espancado com frequência pelo antigo dono. Hoje, Negão é motivo de felicidade na família e tratado como se fosse um filho pela dona de casa. Negão ganhou, há dois meses, uma irmã, que também foi abandonada em frente à casa de Vera.
“Tenho certeza que ele apanhou muito do antigo dono. Mas agora tudo isso é passado, Negão tem pouco mais de quatro anos. Não me importo com raça, o que me importa é o carinho que sinto por ele e o amor que ele demonstra por cada um de nós. Ele é carinho, mas defende a casa como um leão”, disse a dona de casa.
Amigo leal
Há dois anos o “Dórico” transformou a vida do arquiteto Deleon Santiago, 27. Passou de um simples animal doméstico e ocupa um lugar importante na vida do jovem, que já teve diversos cachorros, mas Dórico é o único SRD e que tem livre acesso às dependências da casa e até dorme na casa com Santiago. “Na maioria das vezes os vira-latas são desprezados. O que não importa para mim, tanto faz se são de raça ou não”, finalizou.
O jovem arquiteto, diferentemente dos outros personagens dessa reportagem, procurou por diversos dias um animal para adotar e não se arrepende até hoje. “Ele chegou para mim filhote. Já tive outros animais, mas o Dórico é o único que chegou a morar dentro de casa e dormir na minha cama. Ele é um membro da família. É tão bom acordar e ter ele ali, chegar em casa e ele me receber, ele é um amigo leal”, disse.
Estudante resgata vira-lata
Em uma rua movimentada do bairro Coroado, na Zona Leste da cidade, o estudante Markus Vinícius Costa Menezes, 17, resgatou um filhote, que estava com a patinha quebrada e gemia de dor. A ajuda seria apenas temporária, mas há um  ano e cinco  meses o vira-lata conquistou espaço na vida dos três irmãos e dos pais do adolescente e é um dos donos da casa.
“Inicialmente enfrentamos um pouco de resistência da família, pois nós já tínhamos um cachorrinho. Mas tudo passou, e  hoje Dognaldo tem o espaço dele e faz parte da nossa família. É querido por todos, até pelos vizinhos”, contou.
Para o adolescente, os SRD são mais fortes e mais independentes que os cachorros de raça. Desde que teve abertura dos pais para criar animais, sempre preferiu os vira-latas. “Eu prefiro meus vira-latinhas, são carinhosos, são independentes e até me protegem quando sentem que estou sendo ameaçado”, disse.
Número de adoção aumenta
Segundo Vanessa Menezes, integrante da Organização Não Governamental (ONG) Proteção Adoção e Tratamento Animal (Pata), não há números registrados, mas há três anos os representantes da instituição percebem que a população está adotando mais cachorros SRD em feiras de animais.
Vanessa Menezes contou que o aumento no número de pessoas que procuram animais cresceu também nas redes sociais e impulsiona campanhas. “Percebemos que, nos últimos três anos, é crescente o número de pessoas que nos procuram nas feiras de adoção, mas é importante que a sociedade entenda que vai além de adotar, que é preciso ter comprometimento e amor pelos animais que vão viver mais de dez anos, dependendo da raça”, disse.
Ranking dos pets
Segundo pesquisa online, do Instituto QualiBest, de São Paulo, os cães vira-latas os  animais mais popular nos lares dos brasileiros. O estudo ouviu homens e mulheres, a partir de 18 anos de idade, cerca de 7.084 pessoas participaram, de todas as classes econômicas e regiões do Brasil.
De acordo com a pesquisa divulgada, os vira-lata estão em 41% dos lares, em seguida vem o  Poodle (11%), Pinscher (7%), Labrador (5%), Pit Buull (3%) e Lhasa Apso (3%).
Fonte: Alik Menezes

network

link

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...